As Unidades de Conservação (UC) são áreas territoriais naturais protegidas e conservadas legalmente pelo poder público em suas três instâncias: municipal, estadual e federal. Estas unidades podem ser divididas em áreas de proteção integral, que tem como principal objetivo a manutenção dos ecossistemas, livres de interferência humana direta, e as áreas de uso sustentável, que exploram sustentavelmente o ambiente, de forma socialmente justa e economicamente viável (garantindo a durabilidade dos recursos renováveis).

Entre as categorias de Unidades de Conservação que constituem as Unidades de Uso Sustentáveis estão: Área de Proteção Ambiental, Área de Relevante Interesse Ecológico, Floresta Nacional (Flona), Reserva Extrativista, Reserva de Fauna, Reserva de Desenvolvimento Sustentável e Reserva Particular do Patrimônio Natural. Já as Unidades de Proteção Integral incluem: Estação Ecológica, Reserva Biológica, Parque Nacional, Monumento Natural e Refúgio de Vida Silvestre, totalizando 12 categorias de UCs.

A criação das UCs deve-se, em grande parte, às devastações de florestas nativas brasileiras que se intensificaram no século XX, tendo como principal objetivo a conversão em pastos e lavouras. Como forma de estagnar o desmatamento, o governo brasileiro criou sistemas e instituições que promoviam a sustentabilidade e que estão ativas até os dias de hoje. Entre elas, o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), que veio a se tornar lei em 2000 (Lei nº 9.985/2000).

O marco fundamental em relação aos estabelecimentos do sistema de áreas naturais protegidas foi o Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. Criado em 1872, o local se estende ao longo das fronteiras de Idaho e Montana e contém cerca de 9.000 quilômetros quadrados de lagos de águas cristalinas, desfiladeiros e quedas d’água. A atração principal dos turistas é ver o Old Faithful entrar em erupção, assim como o vapor das termas de Mammoth Hot Springs e as centenas de poças de lama borbulhantes. Já no Brasil, a primeira unidade criada em 1937, foi o Parque Nacional do Itatiaia, localizado na divisa de Minas Gerais com o Rio de Janeiro. O parque contempla campos de altitude, vales suspensos, cachoeiras e uma vegetação exuberante.

A preservação e conservação das UCs são fundamentais para manter a biodiversidade local e proteger espécies ameaçadas de extinção junto aos seus recursos naturais. Além de promover o desenvolvimento sustentável, proporciona meios e incentivos para pesquisas científicas, favorece a educação e interpretação ambiental e valoriza econômica e socialmente a diversidade biológica.