As Unidades de Manejo Florestal (UMF), são áreas de imóveis rurais que funcionam como zonas florestais sustentáveis e naturais, passíveis de serem exploradas racionalmente pela Concessão Florestal, através do manejo sustentável que engloba uma infraestrutura e produção de bens e serviços com múltiplos propósitos. Dentro da UMF existem subdivisões chamadas Unidades de Produção Anual (UPA) que funcionam como espaços destinados à produção anual da demanda de uma empresa. É necessário realizar o dimensionamento das unidades para que possam atender a demanda da instituição. Devido às variações da área, deve-se levar em conta suas delimitações, como Áreas de Preservação Permanente (APP) e afloramentos rochosos. As Unidades de Produção Anual são divididas em Unidades de Trabalho (UT) que são zonas delimitadas de acordo com os aspectos físicos do terreno, como os recursos hídricos e a topografia. Essas características irão determinar a forma e a dimensão da unidade de trabalho. Sua forma pode ser regular (quadrado ou retângulo) ou irregular, seguindo o desenho do terreno.

O conjunto de UMF geralmente constitui um lote de concessão, ou seja, em cada unidade só pode haver um concessionário, segundo o Art. 27 da Lei nº 11.284, de 2 de março de 2006, sobre a  Gestão de Florestas Públicas, representado por um CNPJ que retrata um consórcio de empresas ou cooperativas. Os termos de manejo florestal sustentável como o UMF, UPA e UT estão correlacionados com o Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) que influem direta e indiretamente no Plano Anual de Outorga Florestal (PAOF), nas Concessões Florestais e no Licenciamento Ambiental.