O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), localizado em Belém, foi definido pela Lei Estadual n° 6.963, de 16 de abril de 2007, mas alterado pela Lei Estadual nº 8.096, de 1º de janeiro de 2015, em resposta às demandas estabelecidas pela Lei de Gestão de Florestas Públicas.

Com autonomia técnica, administrativa e financeira, o Instituto busca promover a proteção das florestas, através da regulamentação do acesso, desenvolvimento da cadeia florestal estadual e aplicação de políticas públicas para preservação, conservação e uso sustentável da fauna e flora terrestres e aquáticas. Diante disso, a visão do Ideflor-bio engloba a transformação do Pará em um produtor florestal globalmente competitivo, com alta agregação de valor e alinhado às práticas sustentáveis. 

Dentre as competências Ideflor-bio, estão a coordenação, planejamento e execução de estratégias, políticas e planos estaduais promovendo a articulação entre órgãos estaduais e federais, controle, fiscalização, formulação de propostas e apoio aos órgãos respectivos para o estabelecimento de florestas públicas estaduais, disponibilização destas para compensação de Reserva Legal, fomento à pesquisas, mapeamento florestal, aproveitamento e uso de recursos florestais, aperfeiçoamento tecnológico de atividades de manejo, produção e beneficiamento de produtos e subprodutos florestais.

Os projetos e atividades do Instituto envolvem temas como agricultura familiar, sistemas agroflorestais, produção de mudas, recuperação de áreas degradadas, produção de trabalhos científicos, gestão florestal por Concessões Florestais, Plano Anual de Outorga Florestal (PAOF), monitoramento de contratos, gestão de Unidades de Conservação (UCs) e do Fundo Estadual de Desenvolvimento Florestal (FundeFlor). Na plataforma digital também são divulgadas notícias, publicações para download, relatórios de gestão, legislações aplicadas, eventos e fóruns.