A Cadeia de Custódia (CoC), corresponde a um tipo de certificação florestal que promove a rastreabilidade da madeira mediante a comprovação da trajetória percorrida por produtos florestais, desde a origem até o consumidor final, garantindo que a matéria-prima advém de florestas certificadas na modalidade de Manejo Florestal, ou de fontes controladas e materiais recuperados, de acordo com os princípios e critérios dos sistemas de certificação, sendo os principais o FSC e o PEFC, onde o último reconhece internacionalmente o Programa Brasileiro de Certificação Florestal (Cerflor).

Sendo assim, a Cadeia de Custódia se aplica às organizações que apresentam a posse legal de produtos certificados e realizem atividades como venda, distribuição, rotulação, fabricação, alteração da composição ou integridade física de produtos, entre outros processos da cadeia de fornecimento de produtos de base florestal. A avaliação da CoC pode ocorrer através da identificação por selos dos produtos certificados, de maneira verificável, onde cada sistema possui critérios de permissão do uso, além da separação física para distinção. 

No sistema FSC, a certificação CoC não é necessária para empresas que não possuem posse legal dos produtos certificados, mas são prestadoras de serviços às empresas certificadas, como casas de leilão, empresas de logística, envolvendo o transporte e armazenamento temporário dos produtos certificados sem alterar sua composição ou integridade física, além de contratos que envolvam acordos de terceirização, como compra, processamento, armazenamento, rotulagem e faturamento dos produtos. Enquanto isso, para o Cerflor, além da atuação sobre as diversas organizações da cadeia, os requisitos  de  avaliação  da  conformidade, reguladas pelo  Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), devem seguir os princípios estabelecidos pelo PEFC, para obtenção da validação internacional.