A certificação é um processo voluntário realizado por empresas com o objetivo de garantir que determinado produto florestal venha de um manejo ecologicamente correto, socialmente justo e economicamente viável, cumprindo as leis vigentes. A certificação possui dois tipos: a Cadeia de Custódia (CoC) e o Manejo Florestal. Os principais tipos de sistema são o FSC, que é reconhecido internacionalmente, e o PEFC que é um sistema nacional. O processo de certificação pode ser resumido em cinco etapas: O contato inicial, que é quando a empresa entra em contato com a certificadora; a avaliação, que abrange uma análise geral, documentação e avaliação de campo, com a finalidade de preparar a operação para a certificação; a adequação, que busca se ajustar com o que não está correto; a certificação, que é o momento em que a empresa é creditada junto a elaboração de um resumo público, e por fim, o monitoramento anual, feito pelo menos uma vez por ano.

Dentre as vantagens da certificação para os produtos florestais estão o aumento da produtividade pela presença de trabalhadores bem treinados na área de certificação, a redução dos desperdícios, já que a equipe não deixa árvores cortadas em campo, reduz o desgaste com máquinas e equipamentos e não permitem com que as árvores rachem durante o corte. Outro benefício é a melhoria da imagem para os setores madeireiros, pois traduz uma responsabilidade socioambiental e auxilia o comprador a escolher um produto diferenciado que contribui para o desenvolvimento socioeconômico das comunidades florestais e que não degrada o meio ambiente. Além disso, os preços são melhores, pois a procura por madeira certificada é grande e aumenta a acessibilidade do mercado internacional. 

Para os beneficiadores e revendedores, a madeira certificada garante a origem do produto, pois ao consumi-lo, a empresa sabe que provém de uma área bem manejada, sem exploração predatória dos recursos florestais. Possui também o reconhecimento do mercado, pois os consumidores conscientes dão prioridade para os produtos com selos ambientais, aumentando a acessibilidade ao mercado externo, além de garantir o comprometimento com a responsabilidade social. Para os consumidores, a origem também é garantida além da contribuição pela causa, premiando empresas responsáveis, respeitando a lei, o direito dos trabalhadores, da comunidade e do meio ambiente.