Dentre as modalidades de Certificação Florestal, existem a de Manejo Florestal e a de Cadeia de Custódia (CoC), tendo como principais sistemas de certificação o “Forest Stewardship Council” (FSC) e o “Programme for the Endorsement of Forest Certification” (PEFC), onde o último reconhece internacionalmente o Programa Brasileiro de Certificação Florestal (Cerflor). 

O objetivo da certificação do Manejo Florestal é garantir o fornecimento de matéria-prima proveniente de florestas nativas e plantadas, que seguem padrões de sustentabilidade, dentre outros princípios e critérios estabelecidos por cada sistema de certificação.

Com exemplo, para o FSC, o manejo deve respeitar às leis vigentes, sejam elas ambientais, trabalhistas, tributárias, fundiárias, além de tratados internacionais e acordos assinados pelo país, além de seguir os princípios do FSC. Ademais, o sistema fornece diferentes padrões de manejo, como para florestas plantadas, nativas, a exemplo da floresta amazônica de terra firme, e referente ao manejo em pequena escala e/ou de baixa intensidade (SLIMF), direcionado à produção comunitária.

Enquanto isso, para o Cerflor, através da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), são definidos os princípios, critérios e indicadores para o manejo sustentável de florestas nativas, pela Norma Técnica Brasileira (NBR) nº 15789, de 29 de março de 2021, e plantadas, mediante a NBR nº 14789, de 29 de março de 2021. Além disso, são fornecidos os Requisitos  de  Avaliação da Conformidade  para  Manejo  Florestal  Sustentável, envolvendo programas de monitoramento periódico anual, em função da escala, intensidade das operações florestais no manejo, complexidade e fragilidade do ambiente manejado.