A Floresta Nacional (Flona) de Caxiuanã, criada em 1961, está situada no nordeste do estado do Pará, nos municípios de Portel e Melgaço e possui 322.400 hectares (ha). O Plano de Manejo da Flona definiu como Zona de Manejo Florestal Sustentável 183.695,7 hectares, dos quais 176 mil foram destinados à concessão florestal. A área para concessão foi dividida em três Unidades de Manejo Florestal (UMF): a UMF I de 37.365 hectares, a UMF II de 87.067 hectares e a UMF III, de 52.168 hectares.

A proposta de edital para esta concessão foi apresentada em cinco audiências públicas, realizadas nos municípios de abrangência da Flona, Portel e Melgaço, além da capital Belém e dos municípios de Breves e Porto de Moz, importantes pólos madeireiros da região. 

A gestão da Flona Caxiuanã é realizada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) – A população tradicional residente pratica o agro extrativismo de subsistência, tendo a farinha de mandioca como o principal produto destinado à comercialização, seguida pela castanha-do-pará e o açaí.

O Museu Paraense Emílio Goeldi possui uma base de pesquisa na Flona Caxiuanã – a Estação Científica Ferreira Penna – que oferece aos pesquisadores infraestrutura de laboratórios e alojamento. Três grandes projetos de pesquisa – envolvendo fauna, flora e dados abióticos – estão atualmente em andamento na Flona Caxiuanã: Tropical Ecology, Assessment and Monitoring Initiative (TEAM), o Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) e o Experimento em Grande Escala da Biosfera – Atmosfera na Amazônia (ESECAFLOR/ LBA). 

(Fonte: https://www.florestal.gov.br. Acesso em: 17/02/2021).

Mais informações em: https://uc.socioambiental.org/arp/640